Ana səhifə

Dhv fbo designação Inertes para betões e argamassas


Yüklə 19.16 Kb.
tarix15.06.2016
ölçüsü19.16 Kb.

DHV FBO




Designação

Inertes para betões e argamassas


ESPECIFICAÇÃO

TÉCNICA
ET- MCC 116



Construção Civil

Versão 0: 03.01.17



1.PRESCRIÇÕES GERAIS

    1. Os inertes dos betões devem satisfazer às prescrições da NP ENV206 e da Especificação LNEC E373.

    2. O Empreiteiro apresentará à aprovação da Fiscalização o plano de obtenção de inertes, lavagem e selecção de agregados, proveniência, transporte e armazenagem, a fim de se verificar a possibilidade de fornecimento das quantidades e dimensões exigidas e a garantia da produção com características convenientes e constantes.

    3. O estudo da composição granulométrica dos inertes é/ não é obrigatório.

    4. A areia a empregar no fabrico dos betões e das argamassas deve, em especial, satisfazer as seguintes condições:


  • Ser limpa ou lavada, não conter quantidades prejudiciais de argila e de substâncias orgânicas ou outras impurezas devendo ser peneirada se necessário;

  • Ter grão anguloso áspero ao tacto;

  • Ser rija, de preferência siliciosa ou quartzosa.
    1. O inerte grosso deve ser, de preferência, proveniente de pedra britada ou de seixo anguloso e deve, em especial, satisfazer as seguintes condições:


  • Ter resistência mecânica adequada ao betão a fabricar;

  • Não conter, em quantidades prejudiciais, elementos que a isolem do ligante, como por exemplo películas de argila;

  • Não conter elementos achatados ou alongados em percentagem superior a 30%. Entende se por elementos achatados aqueles em que a relação espessura/largura é menor do que 0,5 e os alongados aqueles em que a relação comprimento/largura é superior a 1,5;

  • A máxima dimensão do inerte grosso não deve exceder 1/5 da menor dimensão da peça a betonar nem 1,3 vezes a espessura do recobrimento das armaduras e nas zonas com armaduras não deverá exceder 3/4 da distância entre varões, ou entre bainhas de cabos de pré-esforço.
    1. A Fiscalização poderá mandar realizar os ensaios que julgar necessários, de acordo com a especificação LNEC E373 para a verificação das características dos inertes, as quais devem obedecer às características indicadas na mesma especificação.

    2. Os inertes deverem ser convenientemente armazenados no estaleiro, ao abrigo das intempéries desde o início das operações de lavagem e selecção até ao seu emprego; preferencialmente em silos com dispositivos de drenagem, concebidos de modo a permitirem uma retoma fácil dos materiais e o esvaziamento para limpeza quando for julgado conveniente; separados por categorias ou lotes e com os cuidados necessários para que não haja mistura entre si ou com substâncias estranhas.



2.Normas e especificações aplicáveis


  • NP 85 - Areias para argamassas e betões. Pesquisa da matéria orgânica pelo processo do ácido tânico;

  • NP 86 - Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor em partículas muito finas e matérias solúveis;

  • NP 581 - Inertes para argamassas e betões. Determinação das massas volúmicas e da absorção de água das britas e godos;

  • NP 953 - Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor em partículas leves;

  • NP 954 - Inertes para argamassas e betões. Determinação das massas volúmicas e da absorção de água de areias;

  • NP 955 - Inertes para argamassas e betões. Determinação da baridade;

  • NP 956 - Inertes para argamassas e betões. Determinação dos teores em água total e em água superficial;

  • NP 957 - Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor em água superficial de areias;

  • NP 1039 - Inertes para argamassas e betões. Determinação da resistência ao esmagamento;

  • NP 1040 - Pedras naturais. Determinação da tensão de rotura à compressão da rocha;

  • NP 1379 - Inertes para argamassas e betões. Análise granulométrica;

  • NP 1380 - Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor de partículas friáveis;

  • NP 1381 - Inertes para argamassas e betões. Ensaio de reactividade potencial com os álcalis do ligante. Processo da barra de argamassa;

  • NP 1382 - Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor de álcalis solúveis. Processo por espectrofotometria de chama;

  • NP 2106 - Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor em sulfatos;

  • NP 2107 - Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor em sulfuretos;

  • NP EN 932 - Ensaios para determinação das propriedades gerais dos agregados;

  • NP EN 933 - Ensaios para determinação das propriedades geométricas dos agregados (Parte 1: Análise granulométrica; Parte 2: Determinação da distribuição granulométrica; Parte 3: Determinação da forma das partículas; Parte 9: Análise dos finos);

  • NPEN 1097.3 - Ensaios para determinação das propriedades mecânicas e físicas dos agregados;

  • NP ENV 206 - Betão. Comportamento, Produção, Colocação e Critérios de Conformidade;

  • LNEC E 159 - Agregados. Determinação da reactividade potencial;

  • LNEC E 222 - Agregados. Determinação do teor de partículas moles;

  • LNEC E 223 - Agregados. Determinação do índice volumétrico;

  • LNEC E 237 - Agregados. Ensaio de desgaste na máquina de Los Angeles;

  • LNEC E 251 - Inertes para argamassas e betões. Ensaio de reactividade com os sulfatos em presença de hidróxido de cálcio;

  • LNEC E 253 - Inertes para argamassas e betões. Teor de halogéneos solúveis;

  • LNEC E 355 - Inertes para argamassas e betões. Classes granolumétricas;

  • LNEC E373 - Inertes para argamassas e betões. Características e verificação da conformidade;

  • LNEC E 415 - Inertes para argamassas e betões. Determinação da reactividade potencial com os álcalis. Análise petrográfica;

Processo de Concurso. Cláusulas Especiais. ET-MCC nº 116 /

Versão 0 – 03.01.17




Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©kagiz.org 2016
rəhbərliyinə müraciət